CHMT analisa atividade assistencial: ano de 2022 deverá ultrapassar os números pré-pandemia

A análise dos resultados do movimento de assistencial no Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), em 2022, foi o tema de uma reunião de trabalho interna, que decorreu no dia 21 de junho no CHMT.

Os indicadores agora conhecidos, referentes até 8 de junho deste ano, evidenciam que atividade assistencial se aproxima dos valores de 2019, o ano de referência, e permitem também estimar que haja uma retoma em diversas áreas e um aumento exponencial noutras.

A sessão e os esclarecimentos ficaram a cargo da responsável do Serviço de Planeamento e Controlo de Gestão, Rita Pereira, do responsável pela Unidade Local de Gestão do Acesso, Guilherme Silva, e do responsável pelo Gabinete de Codificação Clínica, Carlos Bôto. “O ano de 2019 foi um ano muito bom em termos de realização de consultas, cirurgias e de episódios de urgência, e 2022 começa a ser um ano que se aproxima, podendo superar em totais o ano de 2019.”, referiu Rita Pereira. Guilherme Silva acrescentou que “o tempo de espera para cirurgia está dentro das expectativas, dado que a Covid-19 condicionou imenso a atividade cirúrgica programada, pelo que estimamos começar a reduzir as listas de espera, no ano de 2022, tendo em conta os objetivos definidos”.

A sessão contou ainda com um período de esclarecimento por parte de Carlos Bôto, que destacou que “a qualidade da informação registada permite um melhor acompanhamento, mas também permite que atinjamos objetivos estabelecidos”. Ficaram assim conhecidos os dados referentes ao movimento assistencial, nomeadamente ao número de episódios de urgência, aos tempos de espera de consulta e de cirurgia e aos períodos de internamento.

Para terminar a sessão, o Presidente do Conselho de Administração, Casimiro Ramos, elogiou os profissionais envolvidos nesta apresentação, e pediu ânimo e coragem a todos os profissionais da Instituição. “Em tempos desafiantes como o que vivemos, a melhor resposta que todos os profissionais podem dar é o seu esforço e dedicação em prol dos cuidados à população”, referindo ainda que “não podemos baixar os braços, a população precisa de nós e olha para nós para obter os cuidados de saúde necessários. Devemos estar orgulhosos pelo trabalho desenvolvido e o Conselho de Administração está orgulhoso do vosso trabalho!”

Na sessão estiveram também presentes, Carlos Gil Vogal do Conselho de Administração, Ivone Caçador, Diretora Clínica, e Piedade Pinto, Enfermeira Diretora. Esta reunião teve lugar na unidade de Tomar do CHMT.

Partilhar: