CHMT desmistifica a Menopausa e alerta para importância da saúde feminina

O estigma social em torno de assuntos relacionados com a saúde feminina ainda é uma realidade, e é por isso que a 18 de outubro se assinala nos quatro cantos do planeta o Dia Mundial da Menopausa, uma data no calendário da saúde pública que tem como objetivo alertar e informar as mulheres sobre as mudanças naturais que acontecem com o seu corpo, e incentivá-las a procurar ajuda para viver com mais tranquilidade e qualidade de vida esta nova fase das suas vidas.

A menopausa, bem como o climatério, que compreende todo o longo processo durante o qual ocorrem as mudanças na fertilidade da mulher, são inquestionavelmente um assunto de interesse e saúde pública: diariamente, sem nos apercebermos, convivemos e trabalhamos com mulheres que estão a passar por esta fase e que, muitas vezes, enfrentam este período marcante sem orientação, com muitas dúvidas e, infelizmente, até com vergonha.

As mulheres não devem passar por esta fase sozinhas e sem acompanhamento. Por isso, o CHMT junta-se à promoção da literacia em saúde feminina. Para saber mais sobre a menopausa, Ivone Caçador, Diretora Clínica e do Serviço de Ginecologia-Obstetrícia do CHMT, responde a dez perguntas mais frequentes, desmistificando esta etapa natural da vida de uma mulher e apelando a que as mulheres procurem ajuda médica, porque os sintomas adversos da menopausa podem facilmente ser amenizados.

  1. O que é a Menopausa e quais são os seus principais sintomas?  

A menopausa é o nome que damos ao fim da menstruação. Geralmente, ocorre entre 45 e 55 anos, marcando o fim da fase reprodutiva da vida da mulher. A menopausa não é uma doença: faz parte do ciclo de fertilidade natural da mulher. Ou seja, todas as mulheres vão passar pela menopausa em algum momento das suas vidas.

A menopausa está ligada ao envelhecimento natural dos ovários, que deixam de ser capazes de produzir as hormonas femininas. Os sintomas incómodos da menopausa resultam, fundamentalmente, da carência de estrogénios.

Os “afrontamentos” tendem a ser a queixa mais comum das mulheres nos dois primeiros anos após a menopausa. Trata-se de uma onda de calor que atinge principalmente a metade superior do corpo, seguida, após alguns minutos, por suores frios.

Há ainda a reportar como frequentes sintomas comuns as perturbações do sono, como a dificuldade em adormecer, ou em manter a continuidade do sono, bem como na ocorrência de insónias. A depressão pode também ocorrer associado ao fim do ciclo fértil da mulher.

A atrofia da mucosa vaginal da mulher, com secura, provoca irritação e dores associadas às relações sexuais é um quadro comum que pode reduzir a libido e a autoestima da mulher. Os sintomas mais tardios decorrentes da menopausa ocorrem a nível articular, cardiovascular, ósseo e no peso.

  1. Há medicação disponível para amenizar os sintomas adversos da menopausa? 

Sim, o tratamento da menopausa é apenas sintomático, porque a menopausa não é uma doença. Tratam-se sintomas, como o alívio das ondas de calor, ou da secura vaginal. O tratamento também pode incluir prevenção da perda óssea associada à menopausa. É por isso que é tão importante que a mulher se liberte do estigma associado à sua saúde feminina e discuta os sintomas pelos quais está a passar com o seu médico assistente.

O tratamento medicamentoso é individualizado e a terapia de reposição hormonal nem sempre é indicada, devendo ser cuidadosamente avaliada pelo médico, de acordo com as necessidades de cada mulher e avaliando o seu historial.

Para além da medicação, adotar hábitos saudáveis é fundamental nesta fase da vida da mulher, resultando em melhorias significantes na sua saúde.

  1. É possível passar pela Menopausa sem apresentar quaisquer sintomas? 

Sim. Estima-se globalmente que duas em cada dez mulheres podem passar pela menopausa sem apresentar qualquer sintoma.

  1. É possível retardar a idade da Menopausa? 

Não é possível.

  1. Qual a diferença entre a Menopausa e o Climatério? 

Ao contrário do que muitos pensam, e como já vimos na primeira resposta, a menopausa não é o processo longo em que a mulher vai perdendo a sua capacidade reprodutiva pelo envelhecimento dos seus ovários. A menopausa é apenas última menstruação da mulher. O processo como um todo é chamado de climatério: é o antes, o durante e o depois da menopausa.

  1. O que se entende por Menopausa Precoce? Porque é que ocorre? 

A menopausa precoce é aquela que ocorre na mulher antes dos 40 anos de idade. As causas são geralmente desconhecidas em mais de 90% dos casos. Pode estar associada a causas genéticas, doenças autoimunes, ou até ao stress associado a um trauma emocional muito forte.

  1. A Menopausa pode ser consequência ou manifestação de outras doenças? 

Poderá dar-se o caso de acontecer a menopausa química, devido a tratamentos oncológicos de quimioterapia ou radioterapia, que têm efeitos colaterais na fertilidade da mulher e podem levar à menopausa (precoce ou não).

  1. A Menopausa pode trazer associadas outras doenças? 

A redução de estrogénio associada à menopausa pode aumentar o risco de as mulheres desenvolverem algumas doenças, como a osteoporose – uma das funções dos estrogénios é promover a fixação do cálcio nos ossos -, e a doença cardiovascular. A redução dos níveis de estrogénios está associada à maior sensação de secura e menor elasticidade vaginal, existindo maior propensão para infeções urinárias. Não é raro poder instalar-se nesta fase da mulher um quadro de depressão.

  1. Tem de se continuar de consultar todos os anos o ginecologista e realizar o teste papanicolau? 

As mulheres devem manter em todas as fases da sua vida um acompanhamento ginecológico regular. A periodicidade da visita ao médico ginecologista depende de cada caso, mas, normalmente, o ideal é consultar o especialista anualmente. Há alguns exames específicos imprescindíveis no período da pós-menopausa, como a ecografia vaginal, a mamografia.

  1. Quais as consequências para a vida sexual da mulher na Menopausa? Pode suspender-se a toma da contraceção? 

A qualidade da vida sexual das mulheres pode deteriorar-se devido às alterações hormonais que causam secura vaginal criando dor e desconforto na prática de relações sexuais, que podem facilmente ser corrigidas com utilização de lubrificantes, mas também pode melhorar substancialmente pela impossibilidade devido à libertação de uma gravidez indesejada.

É possível engravidar durante o climatério, pois durante esse período a ovulação ainda ocorre, ainda que de forma irregular. Como já vimos, a menopausa é o nome que se dá à última menstruação da mulher, pelo que um ano após esta última menstruação não é mais necessária a contraceção para prevenir uma gravidez, mas apenas para proteção contra doenças sexualmente transmissíveis.

Partilhar: