Mais de 2700 testes efetuados no primeiro mês de Pandemia

O Serviço de Patologia Clínica, do Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE, realizou, desde o início da declaração de Pandemia pelo SARS-Cov2, mais de 2700 colheitas para testes ao Covid19.


A 23 de abril de 2020, os registos do Serviço de Patologia indicavam 2783 testes, dos quais resultaram 69 positivos, 2635 negativos e 67 inconclusivos.
O tempo médio de resposta para o resultado dos testes efetuados foi, com o primeiro laboratório contratado pelo CHMT, inferior a 15 horas. Muito recentemente o CHMT, EPE contratou um segundo laboratório que tem um tempo de resposta, também, abaixo das 24h00.
Até ao próximo domingo, dia 26 de Abril, para além das colheitas já programadas, o Serviço de Patologia do CHMT, EPE, foi reforçado para responder ao pedido da Autoridade de Saúde do Médio Tejo, e realizar mais de 500 testes a bombeiros, profissionais das forças de segurança e profissionais de instituições que acolhem idosos.

Ao abrigo do Plano de Contingência do CHMT, EPE, ao novo Coronavíus, o Serviço de Patologia do CHMT, EPE, reorganizou-se e, desde a primeira hora, manifestou a disponibilidade e capacidade acrescidas para fazer face a este novo desafio.

Foi de imediato criada uma equipa COVID-19 diária composta por quatro médicos, três técnicos de diagnóstico e terapêutica e um técnico superior de saúde para receção, acondicionamento e envio das amostras, gestão dos resultados e comunicação aos serviços e utentes no domicílio. O serviço criou ainda uma plataforma online de gestão dos resultados.

A reorganização da Equipa permitiu a deslocação de profissionais médicos e técnicos, constituídos em equipas de colheitas COVID-19, a locais no exterior das Unidades Hospitalares do CHMT,EPE, nomeadamente no Quartel dos Bombeiros de Santarém.

Para além das colheitas realizadas no exterior do CHMT, EPE, as equipas de colheitas COVID – 19, realizaram colheitas nas três unidades do Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE, e foi criado um Drive through na Unidade Hospitalar de Abrantes, dirigido a doentes portadores de Covid-19 em isolamento no domicílio, a casos suspeitos, a doentes portadores de outras patologias e a outros casos encaminhados pelos cuidados de saúde primários.

Foi também reforçada a equipa para colheitas a doentes imunodeprimidos nas Unidades Hospitalares de Tomar e de Torres Novas.

Segundo declarações do diretor do Serviço, Carlos Cortes, “o Serviço de Patologia do Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE, do ponto de vista laboratorial tem equipamentos para deteção de SARS-CoV-2 por RT-PCR com capacidade para a realização de 300 análises por dia, valor este que pode duplicar em maio. O Serviço aguarda, no entanto, a chegada dos reagentes já encomendados há 3 meses. A não disponibilidade de reagentes que tem sido o principal entrave internacional para o aumento de número de testes à população”.
Carlos Cortes, acrescenta, ainda, que “tem havido um diálogo técnico muito importante entre o Serviço de Patologia Clínica do CHMT,EPE e com os Cuidados de Saúde Primários, nomeadamente com a Autoridade de Saúde, o que tem permitido a excelente resposta do Médio Tejo”.

O presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE, Carlos Andrade Costa, salienta “a enorme diferenciação técnica deste Serviço, considerado como um dos melhores Serviço de Patologia Clínica, no âmbito do SNS”.
Carlos Andrade Costa mostra-se, também, “profundamente reconhecido a toda a equipa do Serviço de Patologia Clínica do CHMT, EPE, e ao seu diretor, pelo esforço quase sobre-humano que têm feito para responderem, em tempo real, às múltiplas solicitações externas ao CHMT,EPE, ao mesmo tempo que realizam as colheitas para o COVD – 19, mantendo a atividade assistência hospitalar em todas as outras áreas de atuação do Centro Hospitalar”.

A capacidade atual de colheita de cerca de 200 testes diários permite antecipar que, durante o mês de maio, o Serviço de Patologia Clínica pode atingir os 500 testes diários.

Partilhar: